sábado, 22 de março de 2014

Rio de Janeiro luta contra a volta do crime "organizado" - Policiais seguem morrendo nos morros e favelas

A situação no Rio de janeiro esta feia, é verdade, muita gente fala que os últimos acontecimentos podem influir no sucesso da Copa do Mundo na cidade maravilhosa, mas ainda faltam pouco mais de  dois meses para o ponta pé inicial, é tempo suficiente para que os Governos providenciem um aparato de segurança capaz de proteger turistas e moradores do crime organizado.

Ações pontuais precisam ser executadas pelo estado, pelo menos para deixar claro que o poder publico tem o controle da situação, já que as notícias e imagens que correm o Mundo, retratam exatamente o contrário.


O governo anunciou nesta sexta-feira (21) que vai enviar tropas federais para ajudar na segurança pública no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito pelo governador Sérgio Cabral (PMDB) e pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, após reunião com a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto.

O governador foi a Brasília para pedir auxílio ao governo federal, depois de ataques a Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) na capital fluminense. O comandante da UPP de Manguinhos foi baleado e um PM levou uma pedrada na cabeça. Os dois foram socorridos e não correm risco de morrer.

O ministro e o governador não informaram quais serão as tropas federais que vão para o estado nem a quantidade de homens que serão enviados. De acordo com Cardozo, as informações são mantidas em sigilo por motivo de segurança.

Policiais militares promovem uma ocupação no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, Zona Norte do Rio, na noite desta sexta-feira (21). A informação foi confirmada pelo serviço reservado do 41° BPM (Irajá).

De acordo com a unidade policial, a ocupação teve início por volta das 20h e envolvia policiais de outros batalhões da PM, entre eles o 9° BPM (Rocha Miranda) e 14º BPM (Bangu). De acordo com o 41° BPM, até as 22h30 não havia registro de confronto com criminosos da região.
Leia mais: G1 - RJ está em alerta máximo contra novos ataques a UPPs - notícias em Rio de Janeiro




quinta-feira, 20 de março de 2014

Operação Lava-jato da Polícia Federal prende ex-diretor da Petrobras por lavagem de dinheiro

Segundo a PF, os grupos investigados na operação Lava-Jato, lançada em Curitiba, registraram movimentações financeiras atípicas num montante que supera 10 bilhões de reais. Costa foi envolvido nas investigações por ter recebido um carro de um doleiro.

O advogado do ex-diretor, Fernando Fernandes, informou por meio de sua assessoria de imprensa que entrará com pedido de habeas corpus junto ao Tribunal Regional do Rio Grande do Sul.

Segundo o advogado, Costa recebeu o carro como remuneração por serviços prestados. "A prisão é injusta", disse o advogado de acordo com nota da assessoria. 

A Polícia Federal prendeu nesta quinta-feira o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, no Rio de Janeiro, sob acusação de destruir documentos que o envolveriam no esquema de lavagem de dinheiro investigado na operação Lava-Jato, informou a assessoria de imprensa da PF.
Leia mais: PF prende ex-diretor da Petrobras por lavagem de dinheiro - EXAME.com


Arquivo do blog

Seguidores