Assuntos de Goiás TV

sexta-feira, 20 de março de 2015

Defesa de Youssef descobre que convocou testemunha errada

“Se tratava de fato de uma pessoa chamada Américo, a defesa tentou diligenciar perante o Banco Safra quem poderia ser eventualmente o Américo pretendido pela defesa para ser ouvido. Chegamos à pessoa do Américo Esteves, mas, agora olhando no link, o meu cliente não reconheceu a fisionomia dele como sendo ele. Eu gostaria de desistir da oitiva da testemunha”, afirmou o advogado.

Esse mal-entendido marcou a audiência de processo referente à Operação Lava Jato na manhã desta sexta-feira (20). 

Os advogados do doleiro Alberto Youssef arrolaram como testemunha de defesa um funcionário do Banco Safra, porém, ao chegar à sede da Justiça Federal em Curitiba, o doleiro percebeu que se tratava da pessoa errada.
G1 - Defesa de Youssef descobre que convocou testemunha errada; vídeo - notícias em Paraná


quinta-feira, 19 de março de 2015

O ex-goleiro Bruno admite “omissão” como maior erro em ‘caso Eliza Samudio

Na busca pela audiência na TV, Augusto Liberato, o Gugu, tem trazido ao seu programa de "entreter imento" entrevistas com personagens recentes das crônicas policiais brasileira. O ex goleiro do Flamengo foi a figura da vez.

Considerado culpado pela morte da ex-amante, o goleiro Bruno Souza reconhece que pode ter sido omisso no assassinato cometido, segundo ele, por Bola e Macarrão, em 2010.

"Fui omisso durante o suposto crime. Eu vi as coisas acontecerem e simplesmente deixei acontecer", admite Bruno ao programa Gugu.

Preso desde julho de 2010, ele cumpre pena de 22 anos e três meses de reclusão pela participação na morte da ex-amante.

Ele sustenta a afirmação que Luiz Henrique Romão, o Macarrão, foi mentor do sequestro e do homicídio de Eliza. Por tratar-se de um amigo de infância, Bruno diz ter ficado "frustrado" com o crime cometido por ele.
Bruno admite “omissão” como maior erro em ‘caso Eliza Samudio - Terra Brasil


Seguidores